quarta-feira, 9 de julho de 2014

Novo conto de Harry Potter aos 34 anos traduzido




Abaixo segue a tradução do novo conto de J.K. Rowling sobre Harry Potter lançado no site pottermore.com.


“Existem celebridades – e existem celebridades. Vimos muitas caras famosas do mundo bruxo a nos agraciar aqui no Deserto da Patagônia – Ministros e Presidentes, Celestina Warbeck, a banda controversa americana The Bent-Winged Snitches – todos causaram urros de excitação, com membros da multidão se espremendo para conseguir autógrafos e até lançando Encantamentos de Ponte para alcançar as alas Vips acima das cabeças na plateia.

Mas quando a palavra se espalhou no acampamento e estádio que uma certa turma infame de bruxos (não mais aqueles adolescentes de rosto jovem que tinham no seu apogeu, porém ainda reconhecíveis) tinha chego para a final, a excitação foi além de tudo já visto. Enquanto a multidão se debandava para encontrá-los, as tendas se esvaziavam e as crianças pequenas mal se continham. Fãs de todos os cantos do mundo se espremeram na área onde diziam que os membros da Armada de Dumbledore estavam, desesperados para ter um vislumbre do homem que eles ainda chamam de O escolhido.

A família Potter e o resto da Armada de Dumbledore ganharam acomodações na seção VIP do acampamento, que é protegida por encantos pesados e patrulhada por bruxos-seguranças. A presença deles acarretou numa multidão, todos ali com esperança de ver seus heróis. Às 15 horas do dia de hoje, eles ganharam o que queriam, quando Potter levou seus filhos James e Albus para visitar o complexo onde ficam os jogadores, onde ele apresentou-os ao apanhador búlgaro Viktor Krum.



Prestes a completar 34, existem alguns fios cinzas no famoso cabelo negro do auror, mas ele continua usando seus distintos óculos redondos que alguns podem dizer que caem melhor numa criança de 12 sem estilo. A famosa cicatriz de raio tem companhia: Potter agora tem corte feio acima de sua bochecha direita. Pedidos de mais informações sobre a proveniência meramente produzem a resposta de sempre do Ministério da Magia: “Nós não comentamos sobre as missões super secretas do Departamento de Aurores, como já falamos 514 vezes, sra. Skeeter.” Então o que eles estão escondendo? Estaria o Escolhido enredado em mistérios que podem um dia explodir todos nós, mergulhando-nos numa nova era de terror e mutilação?

Ou será que essa ferida tem uma origem mais humilde, uma que Potter está desesperado para esconder? Será que talvez sua esposa o amaldiçoou? Será que rachaduras estão começando a aparecer numa união que os Potters estão determinados a promover como feliz? Será que devemos interpretar algo no fato de sua mulher Ginevra estar perfeitamente contente ao deixar seu esposo e filhos em Londres enquanto treina para a Copa? Ninguém sabe se ela realmente tem o talento ou experiência necessários para ser mandada para a Copa Mundial de Quadribol (sabemos sim – Não tem!!), mas vamos encarar, quando seu sobrenome é Potter, portas se abrem, confederações esportivas internacionais se curvam em reverência e editores do Profeta Diário te dão destaques na capa.

Como seus fãs devem se lembrar, Potter e Krum competiram um contra o outro no polêmico Torneio Tribruxo, mas aparentemente não guardam nenhum ressentimento, já que se abraçaram quando se viram (o que aconteceu naquele labirinto? É tentador especular, dado o quão caloroso foi o cumprimento dos dois). Depois de meia hora conversando, Potter e seus filhos retornaram para o acampamento, onde socializaram com o resto da Armada Dumbledore até a noite.

Na tenda ao lado estão os amigos mais próximos do Potter, aqueles que sabem tudo sobre ele, mas sempre se recusaram a falar com a imprensa. Estão eles com medo, ou são os próprios segredos deles que eles temem que sejam vazados, manchando a lenda criada em torno da derrota Daquele-Que-Não-Deve-Ser-Nomeado? Atualmente casados, Ronald Weasley e Hermione Granger estiveram com Harry Potter em quase todos os momentos de sua trajetória. Como o resto da Armada de Dumbledore, eles lutaram na Batalha de Hogwarts e sem dúvidas merecem os aplausos e medalhas por sua bravura dados a eles pelo mundo bruxo.

Logo após o fim da batalha, Weasley, cujo famoso cabelo ruivo parece ligeiramente mais rareado, também conseguiu um emprego no Ministério da Magia junto com seu melhor amigo, mas saiu dois anos depois para co-gerenciar o altamente bem-sucedido empório de piadas e truques bruxos, o Gemialidades Weasley. Estaria ele, como falou na época “feliz por ajudar meu irmão Jorge num negócio que eu sempre amei”? Ou ele se encheu de ficar sempre à sombra de seu amigo Potter? Será que o trabalho no Departamento de Aurores foi muito para um homem que admitiu que a destruição das Horcruxes Daquele-Que-Não-Deve-Ser-Nomeado o deixou “profundamente mal”? Dessa distância, ele não mostra nenhum sinal óbvio de doença mental, mas o público não pode olha-lo de mais perto para poder tirar suas próprias conclusões. Isso não é suspeito?

Hermione Granger, obviamente, sempre foi a femme fatale do grupo. Reportagens da época revelaram que, quando adolescente, ela brincou com o coração de Potter antes de ser seduzida pelo musculoso Viktor Krum, e finalmente namorando com o fiel companheiro de Potter. Depois de uma carreira meteórica que a tornou Chefe do Departamento de Execução de Leis Magicas, ela agora está inclinada a ir ainda mais alto no Ministério, e também é mãe de Hugo e Rose. Será que Hermione provou que uma bruxa pode ter tudo (Não – olhem seu cabelo.)?

Além disso, temos aqueles membros da Armada de Dumbledore que receberam ligeiramente menos publicidade que Potter, Weasley e Granger (estariam eles ressentidos? Quase que com certeza.) Neville Longbottom, agora um professor muito popular de Herbologia na Escola Hogwarts de Magia e Bruxaria, também está aqui na Patagonia com sua esposa Hannah. Até recentemente, o casal vivia no Caldeirão Furado em Londres, mas boatos afirmam que Hannah não apenas foi treinada para Curadora, como também está se candidatando à vaga de enfermeira em Hogwarts. Fofocas sugerem que ela e seu marido gostam de Whisky de Fogo mais do que esperaríamos de pessoas que cuidam de nossas crianças, mas sem dúvidas esperamos que ela tenha sorte na sua empreitada.

Por último entre os principais membros da Armada de Dumbledore, temos, obviamente, Luna Lovegood (agora casada com Rolf Scamander, neto do aclamado Magozoologista Newt). Ainda encantadoramente excêntrica, Luna anda pra lá e pra cá na seção VIP com hobbies compostos com as cores de todos os 16 países qualificados. Seus gêmeos estão “em casa com seu avô”. Seria esse um eufemismo para “Muito perturbados para serem vistos em público”? Certamente alguém mais rude poderia sugerir isto.

Diversos outros membros da Armada estão aqui, mas é entre esses seis que os holofotes brilham mais forte. Onde quer que uma cabeça vermelha esteja, alguém pode deduzir que pertença a um Weasley, mas é difícil de dizer se é de Jorge (endinheirado co-fundador do Gemialidades Weasley), Carlinhos (domador de dragões, ainda solteiro – porque?) ou Percy (Chefe do Departamento de Transportes Mágicos – é sua culpa que a rede Flu está tão congestionada!). O único fácil de indentificar é o Gui que, pobre homem, é gravemente desfigurado depois de seu confronto com um lobisomem e, mesmo assim (encantamento? Poção do amor? Chantagem? Sequestro?) é casado com a inegavelmente deslumbrante (porém sem dúvidas cabeça-de-vento) Fleur Delacour.

Provavelmente veremos esses e outros membros da Armada de Dumbledore nos camarotes Vip’s no final da Copa, contribuindo para o glamour do evento. Vamos torcer para que o comportamento de dois de seus jovens herdeiros não causem embaraço para eles, trazendo vergonha para aqueles que honraram seu sobrenome bruxo.

É sempre complicado invadir a privacidade de adolescentes, mas a verdade é que qualquer um próximo de Harry se beneficia e precisa pagar com a pena de despertar interesse do público. Sem dúvidas, Potter vai ficar triste em saber que seu afilhado de 16 anos Teddy Lupin – um esguio meio-lobisomem com cabelo azul-brilhante – está se comportando de um jeito que prejudica a realeza bruxa desde que chegou no acampamento VIP. Talvez seja pedir demais que o sempre ocupado Potter eduque seu selvagem afilhado com uma rédea mais curta, educação que foi confiada à ele pelos pais do garoto antes de morrerem, mas estremecemos só de pensar no que pode acontecer caso o Lupin não sofra uma intervenção urgente. Enquanto isso, O senhor e a senhora Gui Weasley talvez fiquem felizes em saber que sua linda e loira filha Victoire parece se sentir atraída para qualquer canto escuro que Lupin esteja enfiado. A boa notícia é que ambos parecem ter inventado um método de respirar por suas orelhas. Não consigo pensar em outra maneira deles conseguirem ter sobrevivido por tempos tão prolongados de, como diziam na minha época, ‘amassos’.

Mas não sejamos severos! Harry Potter e seus companheiros nunca disseram que eram perfeitos! E para aqueles que querem saber exatamente o quão imperfeitos eles são, minha nova biografia: Armada de Dumbledore: O lado negro dos soldados dispensados estará disponível em 31 de Julho.”

Rita Skeeter
Foto: reprodução Internet

segunda-feira, 5 de maio de 2014

Avaliação de Capitão América: O Soldado Invernal




Enfim no último dia do feriadão de Páscoa, eis que resolvi ir no cinema e assistir Capitão América: O Soldado Invernal (Captain America: The Winter Soldier).

Só posso dizer que me arrependi de não ter escolhido um cinema melhor para ter assistido ao filme, pois é infinitamente superior ao primeiro filme do Sentinela da Liberdade, e muito melhor que Homem de Ferro 3 (tremendo abacaxi para os fãs).

Mas o que me deixou tão satisfeito com o filme? Diversas coisas, entre elas o fato de mostrar toda a grandeza que a S.H.I.E.L.D. tem, o fato de ver Steve indo visitar seu amor,  Peggy Carter já idosa. Por ter visto Arnim Zola com sua consciência transferida para um banco de dados, e com a câmera do seu sistema de identificação ser parecida com sua versão robótica das HQs, por ter visto um inimigo com habilidades retratadas fielmente no cinema e por ter visto um Capitão América de verdade, assim como aquele que se conhece das HQs.

Sem falar na cena dos créditos, que deixo para comentar depois.

O filme gira em torno da adaptação de Steve Rogers ao século XXI e sua desconfiança pelas atitudes do diretor Nick (Nicholas) Fury da S.H.I.E.L.D. Rogers ainda não aceitou o fato de que o mundo mudou de tal maneira, que hoje não é possível saber quem são os inimigos da paz e da liberdade, não só dos EUA e sim do mundo.

É nesse cenário que vemos que a S.H.I.E.L.D. através do Conselho de Segurança Mundial (que tem como conselheiro chefe Alexander Pierce), resolveu criar três novos aeroporta-aviões com tecnologia de voo orbital e com imensa capacidade defensiva/ofensiva, com o propósito de atuarem em conjunto com uma rede de satélites de vigilância para monitorarem qualquer ação hostil no globo. 

Com a aparição do Soldado Invernal nos EUA, que comete o assassinato de Fury é que temos a deixa para os melhores momentos do filme.

O Soldado Invernal e seu braço ciborgue

O Soldado Invernal para quem não conhece é Bucky, o grande amigo do Capitão América e que morreu na Segunda Guerra Mundial, no combate ao Caveira Vermelha.

A jogada é que ele foi resgatado e teve sua memória apagada, além de ter o braço esquerdo substituído por um braço ciborgue. A diferença é que na história original a ressurreição dele veio pelas mãos do Caveira Vermelha e no filme foi através de Arnim Zola e da Hidra, que não foi destruída.

E é através das investigações do Capitão América e da Viúva Negra, que eles ficam sabendo que Zola transferiu sua mente para um banco de dados da Shield em 1972 e foi confinado em uma base desativada. É incrível ver que a câmera do computador que aparece o rosto do Zola é parecida com a versão de seu corpo robótico das HQs (nas revistas, ele transferiu sua mente para um corpo robótico aonde ao invés da cabeça, tem uma câmera, e na sua barriga tem um monitor aonde aparece seu rosto).

Arnim Zola das HQs

Zola informa que ele criou um código que analisa tendências, escolhas, datas de nascimento, registros diversos e que pode prever o futuro dessa pessoa, sabendo se ela pode ou não se tornar uma ameaça aos planos de dominação da Hidra, e é aí que vem a grande sacada, ele informa Rogers e Natasha que a Hidra nunca deixou de existir e ela está infiltrada desde a criação da S.H.I.E.L.D. e fez tudo o que fosse necessário para manter a instabilidade no mundo e assassinou diversas pessoas que pudessem descobrir esse segredo (inclusive Howard Stark).

Apesar de aparentemente Zola ter sido destruído, creio que existem diversas brechas que garantam a volta do gênio cibernético em seu corpo robótico para o 3º filme da franquia.

Outro personagem que entrou muito bem na história é o bom e velho amigo pós descongelamento do Capitão, que é o Falcão, que tem suas asas produzidas pela DARPA (Defense Advanced Research Projects Agency, Agência de Projetos de Pesquisa Avançada de Defesa). O personagem está muito bem no filme, não rouba a cena do Rogers, mas também não fica desaparecido na história.

A morte forjada do Nick Fury também é oriunda das quadrinhos, mas com maiores implicações das que mostradas no filme.

Nossa Viúva-Negra, Natasha Romanoff está excelente no filme. Audaciosa, irônica e sempre dando conta da situação.

O final do filme é excelente, mesmo o Alexander Pierce não se revelando e tirando sua máscara e demonstrando ser o Caveira Vermelha como foi nas HQs, visto que o Caveira foi sugado pelo Cubo Cósmico (Tesseract) no primeiro filme, e a brecha para sua ressurreição quem sabe venha nas próximas continuações.

As cenas pós-créditos são MEGA ULTRA SUPER ESPECIAIS, pois somos apresentados ao Barão Wolfang von Strucker, aquele que originalmente criou a H.I.D.R.A. nas HQs em posse do bastão do Loki já dá a deixa que coisa forte vem ai. E quem sabe não veremos a Madame H.I.D.R.A., a I.M.A. (Ideias Mecânicas Avançadas) e quem sabe até MODOK em um futuro próximo.

Barão Wolfang von Strucker, comandante da H.I.D.R.A.

E a visão dos irmãos Pietro e Wanda Maximoff presos, com certeza teremos novidades para os Vingadores com a Feiticeira Escalarte e Mercúrio, ambos filhos de Eric Magnus Lehnsherr, vulgo Magneto.

terça-feira, 31 de dezembro de 2013

E que 2014 seja de renovação




Hoje é o último dia de 2013. Faltam poucas horas para o fim deste ano.

Espero que 2014 seja um ano melhor que este que termina, ano de muitas provações e de muito aprendizado, não só para mim, mas para várias pessoas.

Espero sinceramente que 2014 seja um ano de renovação, de mudanças concretas no nosso modo de vida e que tenhamos não felicidade diária, pois é impossível, mas que ela seja pelo menos constante em nossas vidas.

Que venha 2014 e que possamos transformá-lo no melhor ano de nossas vidas, no melhor ano de minha vida.

Adeus 2013, e abaixo deixo o registro do último por do sol aqui na minha cidade, Cachoeirinha/RS.


Foto: André Guterres

sábado, 2 de novembro de 2013

Comentários sobre o filme Thor: O Mundo Sombrio



Se você não assistiu o filme, o texto possui spoilers.



Assisti Thor e o Mundo Sombrio (Thor: The Dark World) nos cinemas e sai contente com o filme.

Me arrisco a dizer que esse filme é melhor que o primeiro, pois nessa sequência você mergulha no universo das histórias de Thor, pois a maioria das cenas se passam em Asgard (a cidade dourada, lar dos deuses, cidade luz), em Vanaheim (mundo dos Vanir), Svartalfheim (O mundo dos Elfos Negros) e é claro em Midgard (Terra). Apesar de Jotunheim também aparecer de relance.

O filme mostra o ressurgimento dos Elfos Negros, liderados por Malekith que foi derrotado por Borr, pai de Odin há milênios e que quer levar a escuridão a todos os nove reinos, e para isso tem uma arma indestrutível, o Ether.

As cenas mostrando todo o esplendor de Asgard, a tecnologia médica e de defesa da cidade é algo a se prestar atenção no filme, pois há bastante tempo foi mostrado uma história aonde os Asgardianos eram considerados alienígenas com tecnologia avançada e grande longevidade, sendo considerados deuses pelos mortais humanos.

Malekith é o líder dos elfos negros

Odin (Anthony Hopkins) inclusive afirma isso a Loki no filme. O que acaba sendo meio que decepcionante.

Loki enfim triunfa

Mas Loki não aceita tal fato e quer um trono para reinar como um deus soberano.

Aliás, o Loki (Tom Hiddleston) é um dos grandes destaques do filme, pois até tirar uma onda com o Capitão América ele tira. Loki abriu uma brecha para um arco de histórias excelentes do Thor ao final do filme.

O vilão Malekith vivido por Christopher Eccleston está de parabéns.

Odin, pai de todos.


Thor (Chris Hemsworth) bate muito, o Mjolmir é usado a quase todo o momento.

A Natalie Portmann apesar de estar ligada ao Ether nesse filme, só tem uma cena decente que é quando esbofeteia o Loki. "Essa é por Nova York!" Brada a mocinha.

Dou nota 7,5 ao filme, pois acho que Odin poderia ter usado o Destruidor para defender Asgard do ataque de Malakith e mesmo depois nos combates seguintes.

Nos créditos, temos Sif e Volstagg entregando o Ether, lacrado em uma urna ao Colecionador! E daí se vê que o Ether é na verdade uma das Jóias do Infinito, assim como o Tesseract (Cubo Cósmico).

Bela introdução para os Guardiões da Galáxia que irão confrontar o Colecionador em breve nos cinemas.

Fotos: Imagens promocionais da Marvel

domingo, 27 de outubro de 2013

Sem entender a dor de alguém...



" Sem entender a dor de alguém, não se pode entender aquilo que ele é..."

AG


Vicent van Gogh e o Doutor





Uma das coisas mais interessantes do seriado britânico Doctor Who é o fato do Doutor viajar pelo Tempo e pelo Espaço usando a TARDIS.

E nisso, fatalmente ele viaja a períodos históricos da humanidade e conhece grandes personagens de nosso passado.


E para mim, um dos melhores episódios é o décimo episódio da quinta temporada (Matt Smith de Doutor), pois o último dos Senhores do Tempo se encontra com Vicent van Gogh.

Segue abaixo a fala mais sensacional deste episódio:


... Sem dúvidas, o mais popular e melhor pintor de todos os tempos.
     O mais adorado. Seu domínio sobre as cores é maravilhoso.
     Ele transformou a dor e o tormento da sua vida em beleza extasiante.
     Dor é fácil de se retratar, mas usar sua paixão e dor...
... para retratar o êxtase, a alegria e o esplendor de nosso mundo, algo que ninguém tinha feito.
      Talvez ninguém nunca mais faça.
    Para mim, aquele estranho e selvagem homem que perambulou pelos campos de Provença não foi somente o maior artista do mundo...
... mas também um dos maiores homens que já viveu.
    
    
Vicente van Gogh em Doctor Who



Fotos: reprodução


domingo, 13 de outubro de 2013

O mundo não precisa de amor






Após anos, cheguei a conclusão de que o mundo não precisa de amor.

Amor é algo tremendamente caro, difícil de se cultivar em mais de uma parte e muito instável.

O mundo preciso de algo tão poderoso quanto o amor, mas bem mais fácil de ser obtido.

O mundo precisa de respeito. Sim, de mais respeito.

Só assim iremos cuidar das feridas profundas que castigam a humanidade.

Respeito por aqueles que são diferentes, respeito para aqueles que pensam diferente.

Quando pudermos respeitar as escolhas dos outros, quando pudermos respeitar nossos pais, filhos, irmãos, esposas, maridos e os desconhecidos, talvez possamos distribuir amor.

Se tivermos respeito pelos outros, pela sociedade, pelas instituições e principalmente para a nossa família, com certeza iremos começar a ter um mundo muito melhor de se viver.


domingo, 8 de setembro de 2013

A conversa entre Buda e Shaka de Virgem


Durante a luta contra Saga de Gêmeos, Shura de Capricórnio e Kamus de Aquário no santuário da Grécia,  Shaka de Virgem tem a recordação de uma conversa que teve com o deus Buda quando criança em seu treinamento na Índia.


Buda: Shaka! Shaka! por que está tão triste? Você tem apenas seis anos e apesar disto vc se senta aí todos os dias para se lamentar. O que é que lhe preocupa? 



Shaka: Hoje eu vi muitos corpos mortos flutuando no Rio Ganges,e na beira do rio eu vi peregrinos vindos da Índia inteira para tomar banho. Eu tive a impressão de que celebravam a morte no lugar da vida. Por quê? Por quê é tão pobre este país aonde eu nasci? Parece que só nascemos para sofrermos e nos lamentar. As pessoas vivem no meio de desgraças.



Buda: Shaka, isto te deixa triste?




Shaka: É claro! quem é que quer uma vida cheia de tristezas?




Buda: Você está enganado. Onde há tristeza há alegria, e o contrário também é verdade. Lindas flores nascem, mas eventualmente morrem. Tudo neste mundo está em eterna mudança. Sempre em movimento. Nunca é igual. Tudo muda. E a vida do homem também é assim.



Shaka: Mas se o nosso fim, a morte é inevitável então talvez seja a tristeza que domine as nossas vidas. Mesmo quando superamos o sofrimento, mesmo que busquemos o amor e a felicidade no fim a morte irá transformar tudo em nada. Eu não entendo, pra que os homens nascem neste mundo? Se é impossível algo tão completo e eterno como a morte.


Buda: Shaka, parece que você se esqueceu.



Shaka: Esqueci? 

Buda: A morte não é o fim de tudo. A morte não é mais do que outra transformação.


terça-feira, 9 de julho de 2013

Olhando o Tempo se esvair num mar de oportunidades perdidas




Olhando o Tempo se esvair num mar de oportunidades perdidas


Já perdi diversas oportunidades na vida. A grande maioria delas foi por acreditar em algo ou alguém. Algumas poucas por não ter tido coragem de acreditar, ousar o impossível.

Me lembro de uma época aonde não existia medo. A confiança e a sagacidade percorriam cada célula do meu ser. 

Não pensava em ter dúvidas, em me negar o que considerava ser meu por direito.

Mas no decorrer dos anos, o Tempo pode ser um professor com lições terríveis.

Tremendamente frio em suas ações, sem carinho, sem luz.

É ainda mais difícil quando você é capaz de fazer tudo por alguém que não percebe que você existe.



É ainda mais difícil quando você é o único que vê em sua plenitude, tudo o que a pessoa que você gosta poderia ser, mas ela não entende o quanto você se importa e estaria disposto a se sacrificar por ela.

É difícil demonstrar sentimentos quando você tem de ser uma rocha para o mundo. Mesmo você se importando muito. Mesmo você amando muito.

"O Tempo se esvai nas diversas linhas temporais. Outrora vivo e brilhante, mas hoje na escuridão. Tudo morre..."

quarta-feira, 1 de maio de 2013

O 3º filme do Homem de Ferro segue a linha fracassada de Homem Aranha 3




Quero deixar duas coisas claras antes de tecer meus comentários. A primeira é que como leitor antigo de HQs (histórias em quadrinhos) tenho algum conhecimento do universo Marvel (Homem-Aranha, Capitão América, X-Men) e do universo DC (Batman, Superman, Lanterna Verde). A segunda é que sei que quando se faz uma adaptação para o cinema, certas liberdades tem de ser feitas e se faz necessário alterações na história ou origem dos personagens. Basta ver Homem de Ferro 1 e 2 e Capitão América como ótimas adaptações das HQs.

Bom, vamos falar do horrível filme do Homem Ferro 3. Para quem entende um pouquinho da Marvel, sabe que mataram a origem de um dos maiores inimigo do Vingador Blindado, o Mandarin. Mandarin foi criado em 1964 e ele é simplesmente o cara que mais odeia o Tony Stark em todo o universo Marvel.

Mandarin das HQs combatendo o Homem de Ferro

Na wikipédia tem um resuminho de quem é o Mandarin. O cara simplesmente domina a China e tem tecnologia alienígena a disposição dele, oriunda de seus dez anéis, aonde cada um deles possui um tipo diferente de poder.

O Mandarin travou diversos combates contra o Homem de Ferro no passar dos anos, sem falar que ele fez parte dos Mestres do Terror (grupo de supervilões que combate os Vingadores) e já combateu o Hulk e os X-Men.

Mandarin é dos maiores supervilões das HQs da Marvel

E daí o Mandarin no filme do Homem de Ferro 3 vira um ator? Um personagem manipulado pelo fracassado do Adrian Killian? Um viciado em drogas fazendo o papel de um Bin Laden que nem chinês é.

Resumindo: a Marvel/Paramount mataram a origem de um grande vilão.

Em relação ao combate das armaduras? Decepção total com uma cena durante a noite, aonde mal se via os detalhes das armaduras, que era o que todo mundo queria ver. Aliás, armaduras e combate com o uso delas pouco se viu.

Cada anel do Mandarin tem um poder específico e várias vezes o HF sofreu para vencer

O Máquina de Guerra transformado em Patriota de Ferro poderia ter sido chamado de Pacifista de Ferro, pois NÃO deu um único tiro no filme inteiro.

Mandarin no excelente jogo do Marvel Ultimate Alliance

E o Tony Stark pirado, com síndrome do pânico é algo que foi totalmente desnecessário, tanto quanto o lado James Bond que quiseram dar a ele.


Em relação ao uso da fase Extremis no filme não vou comentar, porque o desfecho nas HQs foi muito melhor que a Pepper matando o Killian. Aliás, a saga Extremis em si daria um ótimo filme.

   Na Saga Extremis, a armadura de Tony sai por diversos orifícios que percorrem seu corpo

Saga Extremis em que o Tony fez alterações em sua armadura, fazendo com que ela saisse de orificios espalhados por seu corpo e com a injeção do vírus Extremis que recebeu, acabou se tornando o verdadeiro Homem de Ferro.

Se em perguntassem o resumo do filme do Homem de Ferro em apenas uma frase ao sair do cinema, eu diria: Joguei o meu dinheiro fora.